MIDI & Sequencer


MIDI

Termos Comuns

MIDI
	● Interface Digital para Instrumentos Musicais.
	● Padrão universal de hardware/software o qual especifica cabo, conector e mensagens
	que serão transmitidas entre aparelhos musicais, normalmente teclados, sequencers, 
	computadores.
O que é possível fazer?
	● Controlar e sincronizar equipamentos pelo PC, como teclados, baterias eletrônicas,
	mesas de som digitais, processadores de efeitos e periféricos dotados de MIDI; mas
	sem dúvida, a utilização mais comum do MIDI é gravar melodias num teclado musical.

Especificações MIDI versão 1.0 contempla:

Conector Usado 
	● DIN 5 pinos.
	● Permite interligar através dos cabos os equipamentos musicais os quais são 
	dotados dessa interface. Por uma questão de praticidade o cabo com Din-5 pinos
	é chamado de cabo MIDI.
Taxa Transferência
	● 31.250 bauds
Número de condutores Usados
	● Dois hot, mais blindagem (gnd).
Cabo (Tamanho) 
	● 15 metros (no máximo).50 feet (não usar maior para não haver degradação da
	qualidde do sinal (ftca). 
Byte de Dados
	● Byte de 10 bit: 8 bits (D0 d7) mais o "start bit" e "stop bit".
	
Uso - Exemplos Conforme cada Tipo de Equipamento.
	● Teclado/sintetizador: seleção de timbres, gravar melodias, controlar volume,
	pan...
	● Bateria eletrônica: gravar loops de baterias, fazer as viradas... 
	● Multiefeitos: seleção de efeitos e manipulação das características de cada efeito.
	● Mesas Digitais: manipular faders de volume, controlar pan, etc.
 Conector MIDI.






 Dave Smith da Seq.Circuits foi um dos mentores do MIDI.
Hoje em dia há interfaces para computador que também são via USB (MIDI USB),
 porém não há diferença entre conexão MIDI e USB, no que tange eficácia ou velocidade.


Embora o MIDI seja um sistema digital, ele é bem diferente do áudio digital, ou
 melhor dizendo, tem um propósito diferente. Analisando os dois de forma mais “íntima”
 notaremos as afinidades digitais. Em áudio digital já vimos que os sinais de áudio
 são convertidos em bytes através de algum dispositivo de captura e que realizará a
 tal conversão AD. Semelhante ocorre no MIDI onde as expressões do músico serão 
 convertidas em bytes. Um exemplo é quando o músico toca uma nota musical no seu 
 teclado e que, conseqüentemente (intuitivamente melhor dizendo!) executa três atos: 
 nota tocada, força com que tocou, e a posterior liberação dessa mesma nota, além do 
 tempo que "segurou" a nota (parou a mão). A máquina (sequenciador MIDI) irá se 
 referir posteriormente a esses três atos como mensagens ou eventos MIDI, no caso:
	● Key On ou Note On - Tecla ou nota pressionada.
	● Key Off ou Note Off - Tecla ou nota liberada.
	● Velocity - Pressão com que foi executada à nota.
	● Inclui-se também a duração, ou seja, quanto tempo a nota ficou pressionada.	

O teclado musical acaba fazendo o papel do “conversor”, pois converte as expressões
 do músico para bytes que as represente. Ou seja, um byte irá representar a nota 
 pressionada, outro a nota liberada, outro o velocity e assim por diante.
 
Além de Note On/Off e Velocity, há diversas outras mensagens ou eventos. Eles 
representam não só as expressões do músico mas também expressões que um músico por 
melhor que seja, não é capaz de executar (como algumas particularidades usadas em
 música eletrônica). Da mesma forma, com o MIDI, pode-se executar informações que não 
 tem nenhuma relação com o músico em si, e sim, com a mixagem da música ou mesmo 
 efeitos. Enfim, todas essas informações são consideradas eventos e poderão ser 
 editadas e armazenadas a qualquer momento, através do sequencer, que é o equipamento 
 responsável em manipular as informações MIDI.

No midi a informação de nota é a mais básica e, indica a nota que está tocando, com
 que força e a que momento. Outras informações incluem mudanças de programa 
 (instrumento); controles que podem ser vinbrato, tremolo, sustain, aftertouch,
 pitch bend.

Já uma segunda parte são as mensagens de modo, o que inclui os quatro modos onde, 
normalmente, o 1 [Omni On, Poly] é o mais comum de uso.

O outro grupo de msg são as Mensagens de Sitema. Podem ser enviadas independentemente 
dos canais MIDI. Podem ser usadas para sincronizar um sequencer ou bateria eletronica,
 de forma a tocarem juntas. Também mensagens de um fabricante especifico, de forma que 
 para cada fabricante há um número de ID. 
TIPOS DE MSGs
EVENTO
DADOS
OBSERVAÇÕES
MSGs de
Canal

As mensagens possuem o dado "canal nº", mais demais dados.
Channel
'Voice'

Messages
Note On
Note Off
Polyphonic Key Pressure (Aftertouch)
Overall Pressure (Aftertouch)
Control Change (Controladores)




Pitch Bend
Program Change ou Program Select
key nº, vel
key nº, vel
-
-
ctrl nº, ctrl valor




ctrl nº (0-127), valor
pitch bend valor
pg nº
-
-
-
-
Vide tabela abaixo.
-
Channel
'Mode'

Messages
Local/Remote keyboard Control ctrl nº, on/off On, o teclado do instrumento toca seus próprios sons, se Off, o instrumento só poderá enviar dados MIDI, e não tocará seus próprios sons; esta é útil para trabalhar com sequenciadores que permitam mixar a informação de MIDI In com o dado de MIDI out.
All Notes Off ctrl nº, "dummy"  
Mensagens de Modo Omni
(Seleciona Poly/Mono)
ctrl nº, terceiro byte Mode 1 Omni On/Poly ("Omni mode") comumente chamado de "omni" recebe informação de todos os canais, tocando polifonicamente.
ctrl nº, terceiro byte Mode 2 Omni On/Mono recebe informação de todos os canais, tocando monofonicamente.
ctrl nº, terceiro byte Mode 3 Omni Off/Poly ("poly mode") recebe informação do ch MIDI selecionado de forma polifônica. É muito útil com sequencers.
ctrl nº, terceiro byte Mode 4 Omni Off/Mono ("Mono mode") recebe informação nos canais MIDI selecionados, tocando monofonicamente. Útil para controladores de guitarra.
MSGs de
Sistema

(todos canais)
Atuam no sistema inteiro, com MSGs aplicadas a todos os canais. Sincroniza baterias eletrônicas, sequenciadores e outros dispositivos
System
Common

Messages
Song Position Pointer
  permite o seqüenciador sincronizadamente pular para a posição correta dentro da música.
Song Select   semelhante ao Program Change, porém seleciona canções dentro de um número de 128.
Tune Request    
System Exclusive (Sys-Ex)   Usada na TX de dados entre fabricantes. Cada fabricante tenha seu próprio ID (index).
System
Real-Time

Messages
System Reset
Timing Clock
Start From First Measure
Stop
Continue start
Active Sensing
 

Permite outros sequencers retornarem a posição inicial.
MSG de parar. Faz parar vários sequencers/baterias-eletrôncias simultaneamente.


MIDI

O Protocolo MIDI

		
Program Change 
	● Mudança de Programa (MSG de Canal): 
	● ProMix 01: usa-se para recuperar programas e conexões temporais. O comum é 
	"chamar" cenas de mixgem.
	● Cubase, Sonar, outros: usa-se essa MSG para trocar de timbre num sintetizador,
	num canal MIDI específico. A mudança pode ser feita com música em andamento ou 
	mesmo gravar a MSG no soft.


Control Change (CC)
	● Mudança de Controle (MSG de Canal): 
	● São os Controladores, msgs que permitem controlar funções de expressão (como 
	tremolo, sustain...) e mixagem (volume, pan...).
	● Controles números 0 à 31 são do tipo “contínuo”, volume por exemplo. 
	● Controles 64 à 90 são do tipo “chave on/off”, onde valor "0=desligado", valor 
	"127=ligado". O sustain é o CC mais comum.
	● Lista de CCs
	
	0 Bank Select (MSB): Seleciona bancos de timbres dentro de Control Change
	1 Modulation Wheel, Mod Control ou Modulação: Edita dados referente a alavanca de modulação 
	do teclado. Sua variação é de 0 à 127 e normalmente produz efeito de modulação. No
	multi-efeito Alesis, o controler 1 também permite afetar o Edit A em tempo real.
	2 Breath Controller
	3 Control 3 (Pressure, no Dx 7)
	4 Foot Controller
	5 Portamento time
	6 Data Entry (MSB)
	7 Main Volume, v olume principal
	8 Balance
	9 Control 9
	10 Pan
	11 Expr. / FootCtrl (Alesis)
	12 à 15 Control 
	16 Gen.Purp.1 / VectorCon x (teclado Sy22)
	17 Gen.Purp.2 / VectorCon y (teclado Sy22)
	18 Gen.Purp.3
	19 Gen.Purp.4
	20 à 31 Control
	32 Bank Select (LSB)
	33 Modul.LSB
	34 BrthCt LSB
	36 FootCt LSB
	37 Port.T LSB
	38 Data Entry LSB
	39 MainVol LSB
	40 Balance LSB
	41 Control
	42 Pan LSB
	43 Expr. LSB
	44 à 47 Control
	48 Gen.P.1 LSB
	49 Gen.P.2 LSB
	50 Gen. P.3 LSB 
	51 Gen.P. 4 LSB
	52 à 63 Control
	64 Sustain, 64Hold (Pedal Sustain)
	65 Portamento (chave on/off)
	66 Sostenuto(chave on/off)
	67 Soft, pedal (chave on/off)
	68 Hold Pedal 2. Sampler Emulator por exemplo
	69 Hold 2
	70 à 79 Control
	80 Gen.Purp.5
	81 Gen.Purp.6 
	82 Gen. Purp.7
	83 Gen.Purp.8
	85 à 90 Control
	91 Ext. effects depth (Rev)
	92 Tremolo depth
	93 Chorus depth
	94 Celeste (detune) depth
	95 Phaser depth
	96 Data Incr (Data +)
	97 Data Decr (Data -)
	98 NRPN LSB, Non Registered Parameter Number. Controle para editar parâmetros não especificados.
	99 NRPN MSB
	100 RPN LSB, Registered Parameter Number. Controlador para editar um parâmetro específico.
	101 RPN MSB
	102 à 119 Control
	121 Reset All Controllers, ou Reset Ctrl: comando para os controladores voltarem a sua
	configuração original.
	122 Local Ctrl: (on/off) 
	123 All Note Off
	124 OmniMod Off
	125 OmniMod On
	126 MonoMode On
	127 PolyMode On
	
ProMix 01
	● Control Change que oferece controle em tempo real, onde as mudanças típicas 
	incluem modulação, volume, controle panorâmico e comportamento.
	Todos os parâmetros de mixagem podem ser controlados mediante essas MSG MIDI.
	● Bulk dump request: Permite transferir dados entre vários mixers ProMix 01.
	Os dados são transmitidos como Sys-Ex.

Automação
	● A maioria dos equipamentos midi possui possuem algum tipo de automação. 
	● Exemplo: Generetar (Reaktor).
	- Receptor: pode ser o knob num ism. Clique com direito em cima dele, Properties. 
	Em MIDI, abilite Remote.
	- Emissor (JoeController por exemplo). No fader PB por exemplo, clique com direito,
	Properties. Dê ok em Panel to MIDI Out.
	- Controlar dois knobs com um único emissor: proceda como acima, verifique se todos
	(receptores e emisssor) usam o mesmo nº de CC.
	- Controlar dois knobs com emissores diferentes: basta que cada receptor tenha para 
	respectivo emissor, nº de CC exclusivo. Ex: receptor e emissor A, uaam CC1 e, 
	receptor e emissor B, usam CC7. 

MIDI

Exercícios

1. Recurso que permite programar trocas automáticas de timbre, ou seja, em um 
determinado compasso por exemplo, um instrumento é trocado por outro.
a) Velocity.
b) Aftertouch.
c) Program Change.
d) Sys-Ex.
e) NRA. 

2. O conhecimento dos números hexadecimais pode ser útil principalmente no trabalho
 com:
a) Velocity.
b) Aftertouch.
c) Program Change.
d) Sys-Ex.
e) NRA. 

3. Pressure é sinônimo de: 
a) Velocity.
b) Aftertouch.
c) Program Change.
d) Sys-Ex.
e) NRA. 

4. As mensagens MIDI sempre são em 8 bits. Ou seja:
a) A qualidade da música pode ser ruim devido a isto.
b) Gera problemas constantes de atraso de notas e outras informações.
c) Indifere, pois o MIDI é só para sincronizar aparelhos.
d) Gera problemas constantes de falta de sensibilidade nos instrumentos.
e) NRA. 

5. Respectivamente, bit mais significante e bit menos significante:
a) Sys-Ex 1 e Sys-Ex 0.
b) Sys-Ex 0 e Sys-Ex 1.
c) LSB e MSB.
d) MSB e LSB.
e) NRA.

6. É considerado um ícone em síntese FM:
a) Korg Poly 800.
b) Akai MPC.
c) Emulator Proteus.
d) Yamaha DX7.
e) NRA. 

7. Qual das características apontadas condizem com um sampler e um synth analógico?
a) O sampler somente é usado para sons de bateria, enquanto o synth analógico para 
instrumentos.
b) Sampler usa amostras previamente gravadas e o synth análogo gera internamente
 através de meios próprios.
c) O sampler tem qualidade de som e o analógico não.
d) Samplers possuem MIDI, synths analógicos não.
e) NRA 

8. Synth pioneiro em síntese virtual: 
a) Roland Sound Canvas.
b) FM7 Native Instrument.
c) Vaz.
d) Yamaha VL1.
e) NRA. 

9. Assinale o timbre que possui ataque e release rápido.
a) Piano.
b) Flauta.
c) Órgão.
d) Voz.
e) NRA. 

10. Termo referente a modulação constante de volume.
a) Staccato.
b) Sustato.
c) Tremolo.
d) Vibrato.
e) NRA.

MIDI

Técnicas Usadas + Exemplos

Abaixo, exemplos de técnicas de programação usadas em música eletrônica, tal como automação.

Técnica Usada
Referente à
Música / Disco / Ano
Observações

Modulação/Transformação de Notas por Controllers MIDI

Midi

Respect To Rama/Sinister Demanding People/99
Chorume, Sinister/ CD Rock In Rio/ 99
x3, I.n.project / Vinil R2ep / 96

Timbre após intro da batida "desenhado" via CC.
Timbres de voz, teclado principal.

Mixagem Inteira Via Controllers

Midi

Outono, I.N.Project/ Vinil Utter / 97

usado soft SmpteTrack (Atari)

Modulação de Q e Injeção Progressiva de Drive

Síntese

Pô Cara , Cyberspace/ Underground Beat 1 / 1998

timbres modulados ao vivo na mixagem, usando o próprio “paramétrico” duma mesa folio (Soundtech) + drive.

Mudanças de Andamento

Midi

X3 , I.N.Project / Vinil The R2ep / 95

Usado sequenciador QY10 Yamaha.

Mudanças de Andamento e Compasso

Midi

Release Your Tension, Sinister/BUM 10Anos /2004

Usado sequenciador Cubase VST

Síntese Analógica

Síntese

Era de Odin, M-Jop/ “BUM 10 Anos / 98

bateria TR808

“Simulação” de Análogo via Sampler e FX...

Síntese

Pré-Arcanos, M-Jop/ BUM 10 Anos / 99

Usado cerca de 3 waves para gerar todos os timbres de teclado. Utilizado Emulator com várias situações de variações (LFO...).

Síntese Virtual Simulando Percussões Análogas

Síntese

Péricles V, M-Jop/ BUM 10 Anos/ 99

 

Distorção Análoga & Abertura de Stereo por Fase

Síntese

Benedictu's, Sinister/demanding People/ 99

Referente ao teclado principal da trilha





education ikids
www.000webhost.com